BLOG

21 Abril

2014

Livro educativo “Dinis o Lobo” um caso de sucesso e de inovação

By conteudo Uncategorized No Comments

Introdução

“Dinis e o Lobo” é um pequeno conto infantil que nasceu sem grandes pretensões e com um único objetivo: desmistificar junto das crianças a ideia do “lobo mau”, retratada vulgarmente nos contos infantis.

A personalidade das crianças, as suas crenças e comportamentos, definem-se de tenra idade, se lhe incutirmos a ideia do lobo como sendo um animal assustador elas vão crescer com essa imagem negativa.

Com recurso a alguma fantasia, imprescindível nos contos infantis, tentamos mostrar um lobo bom, quisemos mostrar que este mítico animal selvagem tem o seu espaço, deve ser preservado e se assim for é possível promover a coexistência pacífica com os homens.

Desde o dia do lançamento da pequena história verificamos que se transformou num enorme caso de sucesso pela forma como as crianças abraçaram o livro e interpretaram a mensagem.

Como nasceu a ideia?

O conto “Dinis e o Lobo” foi promovido pela Corane – Associação de Desenvolvimento da Raia Nordestina, no âmbito do projeto de cooperação transnacional WOLF – Wild Life & Farmers, que envolve parceiros de Portugal, Espanha, Suécia, Estónia, Polónia e Roménia. Um projeto que incide na dicotomia “ser humano – vida selvagem”, no sentido de encontrar oportunidades sustentáveis à volta do recurso lobo (turísticas, agroambientais, etc.).

Os territórios implicados e os GAL participantes pretendiam defender a compatibilidade e coexistência entre a vida selvagem e a pastorícia, potenciando esta última como atividade sustentável e necessária para a preservação da biodiversidade e valorizar a figura do agricultor/pastor como peça chave no contributo para a conservação do lobo.

Esta temática foi abordada, durante dois anos, diretamente junto da comunidade pastorícia com muito pouco sucesso. Os pastores e as comunidades rurais nutrem pouca simpatia pelo lobo e estão pouco disponíveis para acolher outras formas de ver e de se relacionar com este animal selvagem.

Antes de desmoralizar e já na fase final do projeto, a Corane decidiu fazer uma abordagem aos mais pequenos, tentando passar a mensagem através deles e o resultado superou todas as expetativas.

Processo criativo

O objetivo era claro: desmistificar a imagem do “lobo mau” junto das crianças.

A partir daí entramos em território da fabulação, criamos os personagens, o contexto adequando à realidade do território local, definimos a mensagem principal, a necessidade de preservar o habitat dos lobos e condimentamos esta história com algumas pitadas de realidade, para tornar o conto mais interessante e credível.

O texto foi escrito em linguagem simples mas cuidada e apresentado, para uma primeira avaliação, a um grupo de crianças do 4º ano do Centro Escolar de Santa Maria, em Bragança. Após uma primeira leitura as crianças, naturalmente, começaram a aplaudir e tornaram-se parte integrante do trabalho ao aceitarem o desafio de serem eles a fazer a ilustração da história.

Com o texto e as ilustrações a equipa responsável pela produção do livro decidiu torna-lo ainda mais interessante e mais apelativo. As ilustrações foram animadas e, com recurso a tecnologia de Realidade Aumentada, associaram-se pequenos vídeos e alguns quizzes com perguntas didáticas. De repente a história ganhou vida, as suas personagens ganharam movimento, o livro transformou-se num filme de desenhos animados.

Estes conteúdos multimédia tornam-se acessíveis através do uso de um telemóvel ou tablet.

O livro tornou-se muito mais interessante e apelativo.

Resultados

A temática interessou às crianças e motivou os professores a desenvolverem o tema em contexto de sala de aula.

Em várias escolas houve distribuição gratuita de livros com a apresentação da história e o resultado foi sempre semelhante: um enorme entusiasmo por parte das crianças e até um certo alívio por, finalmente, haver um conto em que o lobo não é mau.

No Centro Escolar de Santa Maria, frequentado por mais de 250 crianças, o trabalho desenvolvido a partir da história “Dinis e o Lobo” foi brilhante. Do pré-escolar ao 4º ano, nas diversas disciplinas (Português, Estudo do Meio, Matemática, Inglês, Teatro, expressão Plástica, etc.) o livro foi trabalhado e os alunos desenvolveram novos trabalhos que resultaram numa espantosa exposição. Investigaram muito e aprenderam o que havia para saber sobre o Lobo Ibérico, sobre o seu habitat, a forma como vive, sobre os pastores e os rebanhos, sobre o cão de gado transmontano e tantas outras coisas. Criaram canções com o conteúdo do livro e fizeram uma peça de teatro. Este trabalho coletivo foi partilhado, todos quiseram saber o que os outros tinham feito, aprenderam uns com os outros.

Consequências

Este interesse das crianças pela temática do lobo levou a Corane a pensar em dar continuidade ao projeto inicial e mesmo sem recursos afetos a esta temática os seus responsáveis decidiram dar continuidade à história, editar um segundo livro, envolvendo da mesma maneira as crianças. Desta vez a história faculta ainda mais informação sobre a forma de vida do lobo e sugere o aproveitamento turístico e até económico da imagem do logo. A mensagem é clara, os recursos existem, temos de os saber valorizar e aproveitar.

Esse livro está ainda em produção.

A peça de Teatro que as crianças fizeram vai ser agora apresentada aos alunos do 5º e 6º ano do Agrupamento de Escolas Miguel Torga, em Bragança, e de seguida exibida no Teatro Municipal de Bragança, uma apresentação aberta a toda a comunidade.

A Corane já assumiu o compromisso de promover um encontro entre estas crianças e os pastores da região, um encontro em contexto real, no campo, junto de um rebanho, de farnel às costas, para que os mais novos possam compreender as dificuldades do pastor, os seus receios dos ataques do lobo e para que os pastores possam ouvir da voz das crianças a importância de preservar esta espécie protegida.

Mediatização

Pelo simples facto deste trabalho ter sido desenvolvido em parceria com um grupo de crianças, o livro “Dinis e o Lobo” tem merecido enorme atenção por parte da Comunicação Social, local e nacional.

Entre os variados trabalhos publicados na imprensa destacamos uma reportagem, feita por uma televisão nacional a SIC, com quase 5 minutos, transmitida em horário nobre.

Na imprensa local destacamos o trabalho realizado pelo Mensageiro de Bragança, “O Olhar”, uma reportagem alargada que focou o livro mas também todo o trabalho desenvolvido pela comunidade escolar em torno do tema.

A mensagem vai passando, quer pela boca das crianças, empenhadas nesta causa, quer através dos media que ao noticiarem a existência do livro transmitem a necessidade de promover a coexistência pacifica do homem com o lobo.

Conclusão

Esta iniciativa promovida pela Corane é a prova de que as Associações de Desenvolvimento Local devem trabalhar em parceria com a comunidade e, nomeadamente, em questões de educação e sensibilização, com a comunidade escolar. Os mais novos são os melhores transmissores de mensagens e os verdadeiros agentes capazes de mudar mentalidades. Formando a consciência dos mais novos, alertando-os para os valores a preservar, construímos uma comunidade mais esclarecida, mais capacitada para defender um futuro sustentável.

Neste caso particular, aliar as novas tecnologias e concretamente a Realidade Aumentada, ao conto, resultou numa mais-valia surpreendente. A mesma realidade é apresentada de forma mais atrativa, no caso em desenhos animados, e surpreendente, conseguindo despertar a atenção de todas as crianças. O prazer que o contacto com as novas tecnologias lhes proporcionar é uma ferramenta excelente para lhes despertar o interesse por novos conhecimentos. O livro transforma-se num novo mundo a descobrir, deixa de ser uma simples sequência de palavras e imagens para se transformar em algo vivo, interativo.

LEAVE A COMMENT

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Pode usar estas etiquetas HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>